Voltar

Leo Brouwer tem obra para violão gravada em vídeo 360° e mixado em realidade virtual

Postado em Lançamentos em 02/04/2020

(Thiago Abdalla. Crédito: Lou Gaioto)

Por Thiago Abdalla

(Especial para o Acervo Violão Brasileiro)

Esse período de quarentena que estamos vivendo é propício a experimentar coisas um tanto diferentes. Assim o Acervo Violão Brasileiro lança nesta quinta-feira (02/04) um vídeo no qual interpreto a peça Paisaje Cubano com Rumba, de Leo Brouwer. É a primeira vez que o portal estreia no formato de filmes em 360° Além dos aspectos relacionados a altura e duração, a peça requer do intérprete a pesquisa de novos timbres para integrar a primeira seção. Prepara-se o violão com objetos de diferentes texturas, espessuras e densidades, como: palitos de madeira, pedaços de papel, plástico, cartolina ou tecidos.

A gravação que realizei contou com uma mixagem em realidade virtual. Trata-se de quatro pistas gravadas isoladamente com apenas um microfone cada – o que na linguagem do áudio chama-se mono. Acrescentou-se a cada um dos quatro canais algorítmos que emulam o comportamento real do som no espaço binaural.

Com isso, elementos de localização espaciais de cada violão em relação ao ouvinte puderam ser automatizados. Ao contrário de definir volume e panorama, esta mixagem acrescentou eixos tridimensionais, como proximidade do violão e grau de elevação.

Neste sentido, o ouvinte poderá apreciar as alturas, durações, articulações, timbres e intensidades arquitetados pelo compositor Leo Brouwer e interpretados por mim, em estúdio. Incluindo novas camadas como distanciamento e elevação que se tornam únicas nesta versão em 360º.

Mas atenção: para assistir vídeos em 360º, é preciso ter a versão mais recente do Chrome, Opera, Firefox ou MS Edge. Nos dispositivos móveis, use a versão mais recente do app YouTube. Use fones de ouvido para melhor experiência sonora. Pois o vídeo embedado perde a capacidadde de rotação.

Seção áurea

Não por acaso, escolhi essa obra para trabalhar vídeo em 360°. Dentre as diferentes frentes artísticas que um grande compositor como Brouwer assumiu ao longo de sua carreira, destaco eventos que influenciaram a existência de obras magnas como a Paisaje Cubano con Rumba. Em 1961 ele exerceu o cargo de Director do Departamento de Música do Instituto Cubano de Arte e Industria Cinematografica (ICAIC). Em meados da década de 1970 fomentou a consolidação do Grupo de Experimentación Sonora (GES).

Em entrevista a Vladimir Wistuba-Alvarez, publicada na Latin American Music Review, em 1989, Leo Brouwer nos chama a atenção para a proporção áurea presente na obra: “Sim, trata-se da série de Fibonacci, não literalmente, pois mais me interessava usá-la como ponto de partida do que algo matematicamente exato. Inicia-se com uma nota, depois duas, três, cinco, ou seja, com a soma dos números anteriores vai-se criando a ‘seção áurea’ que me fascinou por toda a vida.”

(Leo Brouwer)

Como tocar

Paisaje Cubano con Rumba foi encomendada em 1985, pelo flautista Franz Bruggen, que a estreou em Amsterdã no mesmo ano. Ainda segundo relato do Brouwer, o elemento sonoro rumba não é encontra óbvio como pensa o público europeu.

“A rumba é um complexo rítmico urbano que se aproxima do ritual africano puro...”. Neste sentido, a rumba aqui presente é mais ligada ao rito do que à festa ou à dança. Brouwer extraiu diferentes figuras rítmicas da matriz africana e deu novo contexto a elas, tornando-as elementos geradores de uma realidade composicional experimental e moderna.