Voltar

Fábio Zanon, Duo Siqueira Lima e Ná Ozzetti lançam Acervo Digital do Violão em São Paulo

Postado em Shows em 11/09/2014

Um show inédito da cantora Ná Ozzetti, acompanhada pelos violonistas Carlos Chaves e Marcos Alves (integrantes do quarteto Maogani), junto com Fábio Zanon e o Duo Siqueira Lima, será apresentado no dia 21 de setembro, às 19 horas no Auditório Ibirapuera, para marcar o lançamento do Acervo Digital do Violão Brasileiro. Esta primeira edição do projeto homenageia os 130 anos de nascimento de João Pernambuco (1883-1947), considerado o primeiro grande compositor de violão solo do Brasil. 

Antes do recital, haverá breve exposição sobre o projeto, que pretende reunir o mais completo acervo sobre violão brasileiro, com acesso gratuito. Contemplado na seleção pública do Petrobras Cultural 2012, o portal é composto de dicionário de violonistas, rádio digital, discografia, biblioteca, videoteca, banco de imagens, agenda de shows, blog e linha do tempo. 

O Show

Um dos maiores violonistas eruditos brasileiros de todos os tempos, Fábio Zanon abre o recital interpretando clássicos europeus como Bach e Granados e os brasileiros Francisco Mignone e Radamés Gnattali. Professor visitante da Royal Academy of Music, de Londres, e vencedor dos concursos Tarrega na Espanha e o GFA (Guitar Foundation of America) Guitar Competition nos Estados Unidos, Zanon também é regente e escritor.

Em seguida, o Duo Siqueira Lima mostra como a música originalmente composta para sanfona pode combinar tão bem em dois violões, por meio da peça Homenagem a Chiquinho do Acordeon (Dominguinhos). O caráter popular do repertório inclui o choro Um a Zero (Pixinguinha) e Candomblé (Hugo Fattorusso).

Formado pelo mineiro Fernando Lima e a uruguaia Cecília Siqueira, o duo também desenvolve temas eruditos brasileiros, como A Lenda do Caboclo e o Prelúdio das Bachianas nº 4, ambas de Villa-Lobos, e Canhoto, de Radamés Gnattali. E interpreta os europeus Domenico Scarlatti, com duas sonatas, e Manuel De Falla, com a apoteótica La Vida Breve.    

Terceira atração da noite, Ná Ozzetti dará uma pausa no exitoso projeto Embalar para se dedicar a um show totalmente inédito em São Paulo, acompanhada por Marcos Alves e Carlos Chaves, que assinam os arranjos. A cantora paulistana vai relembrar o grupo Rumo, com o qual iniciou a carreira em disco em 1981, ao cantar o samba Quantos Beijos, de Noel Rosa, além de interpretar músicas autorais, como Canto em qualquer Canto, parceria dela com Itamar Assumpção.

Ná aprendeu duas canções especiais para homenagear compositores violonistas. A primeira delas é Aperto de Mão, de Meira (o lendário professor de Baden Powell e Raphael Rabello, além de ter formado com Dino 7 Cordas a mais importante dupla de violonistas da Era do Rádio). Este samba fez sucesso na voz das divas da Era do rádio Isaura Garcia e Dircinha Batista na década de 1950.

A cantora também recria Meu Noivado, um tema folclórico de João Pernambuco, em homenagem aos 130 de nascimento do compositor, cuja obra cantada é bem menos conhecida que a instrumental. Gravada inicialmente em 1929 por Jararaca, acompanhado pelo próprio João Pernambuco e Zezinho (o violonista paulista que ficou mais conhecido por ter inspirado Walt Disney a criar o personagem Zé Carioca), A peça é típica para Carlos Chaves e Marcos Alves mostrarem o estilo de violão da década de 1920 inventado pela dupla Pernambuco / Zezinho. O show tem direção musical de Alessandro Soares e produção e iluminação de Patrícia Ferraz.

 

21 DE SETEMBRO

19 HORAS

ENTRADA FRANCA (ingressos serão distribuídos uma hora e meia antes da apresentação)

CLASSIFICAÇãO LIVRE

Tags: