Voltar

Decifrando a obra de Leo Brouwer em três lições, por Fabio Bartoloni

Postado em Cursos, palestras e seminários em 19/08/2019

(Leo Brouwer)

No curso 80 anos de Leo Brouwer: Cuba, vanguarda e neoromantismo, o professor e violonista Fabio Bartoloni apresenta o universo musical do compositor cubano em três encontros, que começam nesta segunda-feira (19/08) e prosseguem na quarta e na sexta (23), no Centro de Pesquisa e Formação do Sesc em São Paulo, sempre das 19h às 21h.

Nas duas primeiras aulas, Bartoloni faz um panorama sobre fatos históricos e e as linhas estéticas que influenciaram a obra de Brouwer. A exposição inclui inúmeros exemplos práticos, por meio de vídeos e audição de obras selecionadas e uma análise dos resultados sonoros. No terceiro e último dia, Fabio Bartoloni vai tocar no violão algumas obras de todas as fases do Brouwer e analisa-las em alguns aspectos. Danza Caracteristica, Decameron Negro e alguns dos Estudos Simples estão no repertório.

(Fabio Bartoloni)

“Leo Brouwer é um caldeirão musical. Ele se relaciona com a música caribenha, com a música de vanguarda, com a Renascença, enfim... É um dos músicos mais completos do nosso tempo e, por nossa sorte, é violonista”, afirma.

Compositor, regente, violonista, pesquisador, pedagogo e promotor cultural, Leo Brouwer está entre os mais reconhecidos músicos da atualidade. Ele é membro de Honra da UNESCO, do Instituto Italo-Latinoamericano, da Academia de Belas Artes de Granada e Compositor Residente da Academia de Artes e Ciências de Berlim, entre outras nomeações em prestigiosas instituições internacionais.

Fábio Bartoloni é doutor em Performance pela Arizona State University sob orientação de Frank Koonce, onde foi professor assistente e recebeu a Bolsa de Estudos Richard and Babette Burns.