Voltar

Conrado Paulino trata o violão com a poesia que merece no CD A Canção Brasileira

Postado em Discos em 30/09/2019

(Conrado Paulino)

Por Ricardo Giuffrida

Especial para o Acervo Violão Brasileiro

Conhecido no meio musical como o professor dos professores, o violonista, guitarrista, arranjador e compositor Conrado Paulino traz no CD A Canção Brasileira o ápice de sua performance como violonista. Argentino de nascimento, mas brasileiro em sua formação musical, Conrado é um especialista em música brasileira e jazz, tendo acompanhado e tocado com diversos artistas como Alaíde Costa, Johnny Alf, Rosa Passos, Roberto Menescal, Marco Pereira, entre muitos. Entre suas facetas musicais, Conrado ataca como solista e improvisador em seu quarteto, e como violonista solo, face de maior responsabilidade musical e poética, que o músico executa com maestria e personalidade.

Nesse último trabalho, o violonista apresenta arranjos primorosos, parecendo ter um repertório infinito de idéias musicais. Seus arranjos são espetaculares, soam fáceis de ouvir, mas guardam uma grande complexidade conceitual. A propósito, três videoclipes com músicas do disco foram lançados com exclusividade pelo Acervo Digital do Violão Brasileiro

Ouça faixas selecionadas do CD A Canção Brasileira

O CD abre com Todo Sentimento, clássica canção de Cristovão Bastos e Chico Buarque, em que Conrado junta lirismo e a grande influência jazzística na condução harmônica. Em seguida temos Circo Místico (Edu Lobo e Chico Buarque), uma das mais belas canções brasileiras. Paulino cria belíssimos contrapontos, que juntamente a melodia principal revelam toda atmosfera harmônica.

Temas jobinianos

O compositor mais presente no disco é Tom Jobim. Na faixa Sem Você, (parceria com Vinicius de Moraes, Conrado mostra toda sua bagagem jazzística, em um arranjo recheado de “frases harmônicas”, mostrando influência de músicos como Lenny Breau e Joe Pass. Já o tema jobiniano Falando de Amor tem uma bela introdução que nos remete a compositores espanhóis como Isaac Albeniz e Joaquin Rodrigo, profundamente influenciados pela música flamenca. O desenvolvimento da canção é primoroso, com o discurso jobiniano autêntico, e inúmeras texturas características do estilo de Conrado.

(Tom Jobim)

No Tema de Amor de Gabriela, do maestro soberano, Conrado novamente mostra porque é um mestre da harmonia, dando uma roupagem original a essa peça consagrada. Em “Garota de Ipanema”, ele consegue trazer uma nova roupagem a uma das musicas mais tocadas no mundo, deixando o óbvio de lado, e mostrando ser um dos maiores conhecedores de harmonia da música popular contemporânea.

Na faixa Menina da Lua (Renato Motha), mais uma vez Conrado trata o violão com a poesia que merece, com sonoridades em legato e um caráter extremamente intimista. Enquanto em Dinorah, Dinorah, de Ivan Lins e Vitor Martins, o violonista dá uma pitada de suingue latino, acompanhado da percussão formidável de Douglas Alonso. Ao longo da faixa, Conrado mostra maestria em improvisos caribenhos, mostrando porque é mestre em arranjos abertos, em que há espaço para a improvisação.

Em Sim ou Não (Djavan), Conrado volta a envolver o ouvinte com todo o lirismo e poesia, incorporando texturas e elementos harmônicos característicos do seu estilo. Simplesmente homenageia um dos personagens mais importantes da história do nosso violão, o mestre Paulinho Nogueira, mencionando inclusive a famosa Bachianinha no.1.

Com As razões do coração, de Toquinho e Vinicius de Moraes, tive a impressão do encontro fictício de Joe Pass e Toquinho, resultando na mistura do violão sincero de Toquinho e a articulação Jazzística do guitarrista americano. O trabalho se encerra na bela Coração Deserto (Elton Medeiros e Regina Werneck), em que mais uma vez Conrado demonstra estar no ápice da maturidade como violonista.

O álbum, como um todo, mostra a infinitude de recursos musicais de Conrado. Seus arranjos são exclusivos à sua personalidade como músico,  além de ser um violonista virtuoso tecnicamente. Os caminhos escolhidos das vozes  se entrelaçam, e mostram soluções harmônicas inteligentíssimas. Não há demonstrações gratuitas de virtuosismo. Tudo isso traz para o final da audição do CD uma Epifania musical, ficando clara a sensação de revelação e entendimento da essência do violão. Não há necessidade de explicação, apenas a audição como experiência primária.