Agenda

Tome nota dos principais eventos relativos ao universo do violão em todas as regiões do país, Divulgue seu show neste espaço, enviando os dados para nossos contatos. As colaborações voluntárias são fundamentais para ampliar a divulgação da diversidade regional que caracteriza o violão brasileiro.

21/02/18

20h - Juarez Moreira e Mônica Salmaso no CCBB Belo Horizonte

Local: CCBB Belo Horizonte (Praça da Liberdade, 450 – Funcionários CEP: 30140-010 | Belo Horizonte - MG) R$ 20 e R$ 10

No encerramento da série, Juarez recebe como convidada especial a cantora Mônica Salmaso. No repertório músicas de Moreira e composições de Baden Powell, acompanhados por Quarteto de Cordas, Kiko Mitre (baixo) e Lincoln Cheib (bateria).

21/02/18

20h30 - Nicolas Madalena - Lançamento do CD Lembrança que Ficou no Clube do Choro de Brasília

Local: Clube do Choro de Brasília (Setor de Divulgação Cultural Bloco G, Brasília)

Nicolas Madalena lança o primeiro CD, em homenagem a Canhoto da Paraíba. O repertório do show inclui músicas do Canhoto, temas autorais e o tradicional do choro. No Clube do Choro, Nicolas será acompanhado de uma banda formada por: Matheus Donato - cavaco Matheus Fortes - violão 6 e 7 cordas Isabella Pina - pandeiro e percussões Nícolas Madalena - cello, bandolim e violão tenor Participações Especiais: Leo Torres - baixo elétrico Lucas Bichara - gaita cromática Jorge Heine - sanfona

22/02/18

21h - MAURÍCIO EINHORN e NELSON FARIA

Local: Clube do Choro de Brasília (Setor de Divulgação Cultural Bloco G, Brasília) R$ 40 e R$ 20

O gaitista Mauricio Einhorn e o guitarrista Nelson Faria sobem juntos ao palco do Clube do Choro de Brasília para celebrar uma parceria que já dura 20 anos. Mauricio Einhorn é um dos protagonistas da bossa nova, autor de clássicos consagrados como “Estamos aí”, “Batida diferente” e “Tristeza de nós dois”. Nelson Faria é considerado um dos mais expressivos músicos brasileiros e já se apresentou em mais de 40 países pelo mundo. Os dois apresentam um show onde se divertem e se emocionam ao interpretar clássicos da música brasileira, standards do jazz e da bossa nova.

23/02/18

19h - Antonio Madureira: composições para violão

Local: Centro de Pesquisa e Formação (Rua Dr. Plínio Barreto, 285 - 4º andar, Bela Vista) - São Paulo (11) 3254-5600 Entrada franca

Lançamento do livro que apresenta 22 partituras para violão referentes aos dois álbuns solo gravados por Antonio Madureira na década de 1980. Acompanha um CD com os álbuns remasterizados. É apresentado pelo violonista Fábio Zanon, com prefácio do músico e historiador Francisco Andrade. Com Antonio Madureira, regente, violonista e compositor. Neto do compositor Tonheca Dantas. Potiguar de Macau, mudou-se para o Recife em 1967, passando a estudar violão com José Carrión na Escola de Belas Artes de Pernambuco. Em 1970, com apenas 20 anos, recebe um convite de Ariano Suassuna para compor o Movimento Armorial. Com Fábio Zanon, violonista, vencedor dos dois maiores concursos internacionais de violão clássico: o 30° Concurso "Francisco Tarrega" na Espanha e o 14° Concurso da Fundação Americana de Violão (GFA) nos EUA.

23/02/18

21h - MAURÍCIO EINHORN e NELSON FARIA

Local: Clube do Choro de Brasília (Setor de Divulgação Cultural Bloco G, Brasília) R$ 40 e R$ 20

O gaitista Mauricio Einhorn e o guitarrista Nelson Faria sobem juntos ao palco do Clube do Choro de Brasília para celebrar uma parceria que já dura 20 anos. Mauricio Einhorn é um dos protagonistas da bossa nova, autor de clássicos consagrados como “Estamos aí”, “Batida diferente” e “Tristeza de nós dois”. Nelson Faria é considerado um dos mais expressivos músicos brasileiros e já se apresentou em mais de 40 países pelo mundo. Os dois apresentam um show onde se divertem e se emocionam ao interpretar clássicos da música brasileira, standards do jazz e da bossa nova.

24/02/18

16h - Música ibérica para vihuela de mano e guitarra barroca - Com Rosimary Parra

Local: Centro de Pesquisa e Formação (Rua Dr. Plínio Barreto, 285 - 4º andar, Bela Vista) - São Paulo (11) 3254-5600 - Entrada franca

A musicista Rosimary Parra apresenta o repertório ibérico e leva aos ouvintes um pouco da história da vihuela e da guitarra. Informações sobre o ambiente musical da época, gêneros musicais, questões sobre afinação e notação são alguns dos assuntos que acompanharão a performance. Com Rosimary Parra, musicista com bacharelado em Violão e mestrado em Música pela Unesp, com cursos de especialização na área de interpretação violonística e música antiga realizados na Espanha e Itália.

27/02/18

20h06 - Eduardo Gudin: decifrando canções - aula 1

Local: Centro de Pesquisa e Formação (Rua Dr. Plínio Barreto, 285 - 4º andar, Bela Vista) - São Paulo (11) 3254-5600 - De R$ 36 a R$ 120

Decifrando Canções é uma nova etapa do curso Alquimia da Canção, ministrado por Eduardo Gudin no segundo semestre de 2017. Serão quinze aulas que ocorrem todas as terças-feiras, de 27 de fevereiro a 12 de junho, exceto no feriado de 1 de maio. Nesta etapa serão aprofundadas as questões técnicas das canções (melodia e letra) da nossa música popular. O objetivo é aprimorar, através de um mergulho profundo em obras especiais do cancioneiro nacional, o ofício de ser compositor. É necessário um conhecimento mínimo de harmonia e tocar um instrumento. Mesmo que só para acompanhamento. O curso busca preencher uma lacuna sobre o tema. Sabemos que no estudo padrão de música erudita está incluso, no estágio mais avançado, o ensino de composição. Nesta cadeira o estudante analisa as estruturas dos estilos abrangendo todas as épocas (barroco, clássico, romântico, impressionista e outros), começando pelo estudo da harmonia seguido do contraponto. Mesmo que o aluno de composição não consiga criar uma "obra maior", pois isso depende de um talento natural, ele aprende a compor peças na forma correta. Pode criar uma fuga no estilo de Bach com todas as características, por exemplo. Já na composição popular não existe nenhuma técnica sistematizada para um curso nesse sentido. Peca-se pela falsa ideia de contrapor intuição a um estudo mais formal.

28/02/18

20h30 - Michi Ruzitschka - show de lançamento do álbum SP no Sesc Pinheiros

Local: Sesc Pinheiros (Rua Paes Leme, 195)

Michi Ruzitschka lança disco no Sesc Pinheiros, acompanhado de uma banda formada por Pedro Ito: bateria; Marcos Paiva: contrabaixo; Guilherme Ribeiro: acordeon; Alexandre Ribeiro: clarinete. Violonista, compositor e produtor nascido na Áustria e residente no Brasil há 15 anos, Michi Ruzitschka graduou-se no Brucknerkonservatorium de Jazz na Áustria e, ganhou uma bolsa para estudar nos Estados Unidos na renomada Berklee College of Music em Boston, onde passou quatro anos. Mudou-se para o Brasil em 2003, trabalhou ao lado de artistas como Toninho Ferragutti, Elba Ramalho, Chico César, Gabriel Grossi, Verônica Ferriani, Giana Viscardi, Luisa Maita, Rodrigo Campos, Paulinho Moska, Danilo Caymmi, Moreno Veloso, Kiko Dinucci e Tatiana Parra. O trabalho autoral de Michi Ruzitschka nasce da sua pesquisa da tradição do violão brasileiro e inspirado por nomes como Garoto, Baden Powell, Rafael Rabello, Roberto Mendes, Yamandú Costa e Nelson Veras.

03/03/18

13h - Fábio Bartoloni no Conservatório Villa-Lobos da Fito, em Osasco, São Paulo

Local: Fundação Instituto Tecnológico de Osasco - Fito (Rua Camélia, 26 - Jardim das Flores, Osasco - SP)

O violonista interpreta obras de Bach, Villa-Lobos, Vilani Cortez, Ponce, Kowalczyk

06/03/18

14h30 - Eduardo Gudin: decifrando canções - aula 2

Local: Centro de Pesquisa e Formação (Rua Dr. Plínio Barreto, 285 - 4º andar, Bela Vista) - São Paulo (11) 3254-5600 - De R$ 36 a R$ 120

Decifrando Canções é uma nova etapa do curso Alquimia da Canção, ministrado por Eduardo Gudin no segundo semestre de 2017. Serão quinze aulas que ocorrem todas as terças-feiras, de 27 de fevereiro a 12 de junho, exceto no feriado de 1 de maio. Nesta etapa serão aprofundadas as questões técnicas das canções (melodia e letra) da nossa música popular. O objetivo é aprimorar, através de um mergulho profundo em obras especiais do cancioneiro nacional, o ofício de ser compositor. É necessário um conhecimento mínimo de harmonia e tocar um instrumento. Mesmo que só para acompanhamento. O curso busca preencher uma lacuna sobre o tema. Sabemos que no estudo padrão de música erudita está incluso, no estágio mais avançado, o ensino de composição. Nesta cadeira o estudante analisa as estruturas dos estilos abrangendo todas as épocas (barroco, clássico, romântico, impressionista e outros), começando pelo estudo da harmonia seguido do contraponto. Mesmo que o aluno de composição não consiga criar uma "obra maior", pois isso depende de um talento natural, ele aprende a compor peças na forma correta. Pode criar uma fuga no estilo de Bach com todas as características, por exemplo. Já na composição popular não existe nenhuma técnica sistematizada para um curso nesse sentido. Peca-se pela falsa ideia de contrapor intuição a um estudo mais formal.

11/03/18

11h - Maria Haro faz recital no Rio de Janeiro

Local: Centro de Referência da Música Carioca (Rua Conde do Bonfim, 834, Tijuca - Rio de Janeiro

No espetáculo, Maria Haro faz homenagem especial aos 90 anos de Nicanor Teixeira e de Edino Krieger, além interpretar peças de Bach, Villa-Lobos, Arthur Verocai, Rick Ventura, Marco Pereira

13/03/18

14h30 - Eduardo Gudin: decifrando canções - aula 3

Local: Centro de Pesquisa e Formação (Rua Dr. Plínio Barreto, 285 - 4º andar, Bela Vista) - São Paulo (11) 3254-5600 - De R$ 36 a R$ 120

Decifrando Canções é uma nova etapa do curso Alquimia da Canção, ministrado por Eduardo Gudin no segundo semestre de 2017. Serão quinze aulas que ocorrem todas as terças-feiras, de 27 de fevereiro a 12 de junho, exceto no feriado de 1 de maio. Nesta etapa serão aprofundadas as questões técnicas das canções (melodia e letra) da nossa música popular. O objetivo é aprimorar, através de um mergulho profundo em obras especiais do cancioneiro nacional, o ofício de ser compositor. É necessário um conhecimento mínimo de harmonia e tocar um instrumento. Mesmo que só para acompanhamento. O curso busca preencher uma lacuna sobre o tema. Sabemos que no estudo padrão de música erudita está incluso, no estágio mais avançado, o ensino de composição. Nesta cadeira o estudante analisa as estruturas dos estilos abrangendo todas as épocas (barroco, clássico, romântico, impressionista e outros), começando pelo estudo da harmonia seguido do contraponto. Mesmo que o aluno de composição não consiga criar uma "obra maior", pois isso depende de um talento natural, ele aprende a compor peças na forma correta. Pode criar uma fuga no estilo de Bach com todas as características, por exemplo. Já na composição popular não existe nenhuma técnica sistematizada para um curso nesse sentido. Peca-se pela falsa ideia de contrapor intuição a um estudo mais formal.

20/03/18

14h30 - Eduardo Gudin: decifrando canções - aula 4

Local: Centro de Pesquisa e Formação (Rua Dr. Plínio Barreto, 285 - 4º andar, Bela Vista) - São Paulo (11) 3254-5600 - De R$ 36 a R$ 120

Decifrando Canções é uma nova etapa do curso Alquimia da Canção, ministrado por Eduardo Gudin no segundo semestre de 2017. Serão quinze aulas que ocorrem todas as terças-feiras, de 27 de fevereiro a 12 de junho, exceto no feriado de 1 de maio. Nesta etapa serão aprofundadas as questões técnicas das canções (melodia e letra) da nossa música popular. O objetivo é aprimorar, através de um mergulho profundo em obras especiais do cancioneiro nacional, o ofício de ser compositor. É necessário um conhecimento mínimo de harmonia e tocar um instrumento. Mesmo que só para acompanhamento. O curso busca preencher uma lacuna sobre o tema. Sabemos que no estudo padrão de música erudita está incluso, no estágio mais avançado, o ensino de composição. Nesta cadeira o estudante analisa as estruturas dos estilos abrangendo todas as épocas (barroco, clássico, romântico, impressionista e outros), começando pelo estudo da harmonia seguido do contraponto. Mesmo que o aluno de composição não consiga criar uma "obra maior", pois isso depende de um talento natural, ele aprende a compor peças na forma correta. Pode criar uma fuga no estilo de Bach com todas as características, por exemplo. Já na composição popular não existe nenhuma técnica sistematizada para um curso nesse sentido. Peca-se pela falsa ideia de contrapor intuição a um estudo mais formal.

27/03/18

14h30 - Eduardo Gudin: decifrando canções - aula 5

Local: Centro de Pesquisa e Formação (Rua Dr. Plínio Barreto, 285 - 4º andar, Bela Vista) - São Paulo (11) 3254-5600 - De R$ 36 a R$ 120

Decifrando Canções é uma nova etapa do curso Alquimia da Canção, ministrado por Eduardo Gudin no segundo semestre de 2017. Serão quinze aulas que ocorrem todas as terças-feiras, de 27 de fevereiro a 12 de junho, exceto no feriado de 1 de maio. Nesta etapa serão aprofundadas as questões técnicas das canções (melodia e letra) da nossa música popular. O objetivo é aprimorar, através de um mergulho profundo em obras especiais do cancioneiro nacional, o ofício de ser compositor. É necessário um conhecimento mínimo de harmonia e tocar um instrumento. Mesmo que só para acompanhamento. O curso busca preencher uma lacuna sobre o tema. Sabemos que no estudo padrão de música erudita está incluso, no estágio mais avançado, o ensino de composição. Nesta cadeira o estudante analisa as estruturas dos estilos abrangendo todas as épocas (barroco, clássico, romântico, impressionista e outros), começando pelo estudo da harmonia seguido do contraponto. Mesmo que o aluno de composição não consiga criar uma "obra maior", pois isso depende de um talento natural, ele aprende a compor peças na forma correta. Pode criar uma fuga no estilo de Bach com todas as características, por exemplo. Já na composição popular não existe nenhuma técnica sistematizada para um curso nesse sentido. Peca-se pela falsa ideia de contrapor intuição a um estudo mais formal.