Linha do tempo

Aqui você encontra um panorama da história do violão no país, desde o tempo da colonização, passando pelo período do império, a Belle Epoque, os estilos da Era do Rádio, o Brasil moderno da bossa nova, o surgimento da MPB, o revigoramento do choro na década de 1970, a chegada do violão nas universidades brasileiras a partir dos anos 80, até o momento atual. O levantamento inédito é fruto da consulta dos mais antigos jornais e revistas e de entrevistas com familiares dos artistas.

1933

Concertos e recitais
27 de janeiro – Sob a batuta de José Augusto de Freitas no Studio Nicolas, Rio.
3 de fevereiro – A jovem violonista (13 anos) Áurea Cortez, filha do também violonista Melchior Cortez, faz apresentação no Studio Nicolas.
28 de abril e 26 de setembro – O violonista Carlos Collet promove recitais, respectivamente, no Palace Hotel e no Clube Comercial, ambos em São Paulo.

Apresentações realizadas por Isaías Sávio
15 de julho - No salão nobre da Sociedade Sul Riograndense, Rio.
5 de setembro - Theatro Municipal de Niterói (Rio de Janeiro).
6 de dezembro - Club Municipal, Rio.