Linha do tempo

Aqui você encontra um panorama da história do violão no país, desde o tempo da colonização, passando pelo período do império, a Belle Epoque, os estilos da Era do Rádio, o Brasil moderno da bossa nova, o surgimento da MPB, o revigoramento do choro na década de 1970, a chegada do violão nas universidades brasileiras a partir dos anos 80, até o momento atual. O levantamento inédito é fruto da consulta dos mais antigos jornais e revistas e de entrevistas com familiares dos artistas.

1920

MARÇO
Dia 13 – Heitor Villa-Lobos compõe Choro n.1 para violão solo, marco inicial de um dos principais ciclos do violão rasileiros. Nesse mesmo dia ocorre festa comemorativa ao 40º aniversário da Associação dos Empregados do Commercio do Rio de Janeiro, com palestra literária de Paulo Barreto (João do Rio) e participação musical do violonista Agustin Barrios e do poeta Catulo da Paixão Cearense.

MAIO
Dia 5 - A violonista espanhola Josefina Robledo anuncia no jornal Correio da Manhã que leciona pratica e teoricamente violão na casa de alunos ou em sua residência, à rua Evaristo da Veiga nº 24, no Rio de Janeiro.
Dia 15 - Francisco Barrios e Agustin Barrios deixam a cidade do Rio de Janeiro, a bordo do paquete nacional Minas Gerais

JUNHO
Dia 9 - Festa de despedida do artista lírico Mário Pinheiro, organizada pelo poeta Catulo da Paixão Cearense, no Theatro Lyrico, no Rio. Entre várias atrações, o maestro Villa Lobos apresenta o Poema Sinfônico, regendo orquestra de 40 professores; Ernesto Nazareth interpreta ao piano vários tangos de autoria dele; Josefina Robledo sola várias músicas ao violão, e Catulo recita A Promessa.

Apresentações de Américo Jacomino (Canhoto)
2 de janeiro – Audição para a imprensa pernambucana no Recife.
3, 04 e 7 de janeiro – Cine Teatro do Parque, no Recife.
12 e 13 de janeiro – Teatro Moderno, na mesma cidade.
6, 7 e 8 de fevereiro – Integrando o Quarteto Internacional, faz concerto no mesmo teatro recifense.
9 de maio - Salão Nobre do Jornal do Commercio, no Rio.
20 de maio - Centro Galego, no Rio.
21 de maio – Participa de ato variado no Trianon, no Rio.
20 de julho – Em parceria com Marçal Fernandes faz concerto no Conservatório Dramático e Musical de São Paulo.

Apresentações de Agustin Barrios
22 de janeiro – Salão Nobre do Jornal do Commercio, no Rio.
12 de fevereiro – Centro Católico, em Petrópolis (Rio de Janeiro), com a presença do então presidente da República Rodrigues Alves.
27 de abril - Salão de música do Corpo de Bombeiros, no Rio.

Apresentação de Josefina Robledo
10 de fevereiro – Salão Nobre da Associação dos Empregados no Comércio, no Rio.

Apresentação de Levino Albano da Conceição
20 de agosto - Clube Caixeiral, em Porto Alegre (Rio Grande do Sul).