Linha do tempo

Aqui você encontra um panorama da história do violão no país, desde o tempo da colonização, passando pelo período do império, a Belle Epoque, os estilos da Era do Rádio, o Brasil moderno da bossa nova, o surgimento da MPB, o revigoramento do choro na década de 1970, a chegada do violão nas universidades brasileiras a partir dos anos 80, até o momento atual. O levantamento inédito é fruto da consulta dos mais antigos jornais e revistas e de entrevistas com familiares dos artistas.

1834

Método de violão atribuído a François de Fossa, (amigo e contemporâneo de Dionisio Aguado), já pode ser adquirido na loja de livros da rua da Alfandega, nº 22, no centro do Rio de Janeiro.

Algumas peças para “violão francês” de autores como Kuffner, Giulliani e Aguado também podem ser compradas na casa de Eduardo Laemmert, que ficava na rua da Quitanda nº 139, na mesma região da cidade. Nessa mesma loja achava-se à venda o método de violão de Carulli, largamente difundido na Corte, traduzido do italiano para o português por A. Crocco, em 1837.