Voltar

Músicos gaúchos criam app de dicionário de acordes, que vira sucesso internacional

Postado em Lançamentos em 15/01/2020

(Pedro Lima)

Por Fábio Carrilho             

Um dicionário interativo para celular com cerca de 5 mil acordes para violão e guitarra, desenvolvido por brasileiros e com mais de 1 milhão de downloads mundo afora. Você talvez já tenha ouvido falar do MobiDic Guitar Chords, aplicativo disponível nas versões Android e IOS da empresa Brainsides. Se não, contemos sobre ele.

A história do MobiDic é fruto da parceria entre o músico gaúcho e desenvolvedor de software Pedro Etcheverria Lima, que já colaborou em apps de músicos como Nelson Faria e Kiko Freitas, e o violonista e guitarrista conterrâneo Dinho Oliveira. A ideia surgiu de maneira espontânea, pois Pedro era aluno de música de Dinho e, a partir dos assuntos de aulas, vislumbrou a criação de uma ferramenta em forma de aplicativo que ilustrasse rapidamente a construção dos acordes, suas variações e que permitisse ao usuário ouvir a sua sonoridade. “Existem diversos dicionários em forma de aplicativo. Porém, ao utilizá-los, quase nunca encontrava o acorde como estava cifrado nas músicas. Além dos padrões de notação, também resolvi reproduzir o som de cada nota em cada corda, dando assim uma sonoridade realística do acorde nas suas formações ao longo do braço”, conta Pedro.

(Dinho Oliveira)

O app é muito simples de usar e a sua navegação é bastante intuitiva. Sua interface visual está organizada em três colunas: uma referente à tonalidade do acorde, outra ao tipo de acorde e a terceira com fotos ilustrativas de diversas possibilidades de formas do acorde tocadas em uma guitarra de jazz. Acima desta última, há uma ferramenta de busca, na qual você poderá digitar o nome do acorde para que o app apresente fotos dele montado. Na parte inferior, há uma ilustração do braço da guitarra no formato diagrama com a localização exata das notas tocadas. Pedro acredita que esse seja um dos principais atrativos do dicionário, pois é possível avaliar, além da digitação, a postura correta da mão.

A busca pode ser realizada de diversas maneiras. A mais básica é partir da tonalidade, depois escolher o tipo de acorde e conferir as diversas possibilidades de montagem por meio da foto ilustrativa do diagrama e ouvir o som. Os tipos de acordes estão organizados a partir de estruturas básicas, como tríades, chegando até as mais complexas com dissonâncias variadas. Neste aspecto, importante destacar o trabalho de Oliveira, guitarrista experiente, com fluência no jazz e amplo vocabulário harmônico, na medida em que diversos acordes trazem aspectos idiomáticos do instrumento, explorando cordas soltas e construções pouco usuais, as quais podem surpreender, inclusive, músicos mais rodados. Segundo Pedro, “esse conjunto de fatores agregados a um conteúdo confiável levaram o MobiDic ao aplicativo Nº1 em música por diversas vezes nas lojas de aplicativos da App Store e Google Play”.

Grandes personalidades da música brasileira como Yamandu Costa, Nelson Faria, Daniel Sá, Gustavo Assis-Brasil e Kiko Freitas já avaliaram e apoiaram o app, que já acumula mais de 4 mil depoimentos de usuários. “É um trabalho de atualização constante para acompanhar as versões dos sistemas iOS e Android e, para isso, contamos com a equipe da BrainSides que está sempre conectada e dando o melhor suporte possível”, ressalta Pedro.

A versão testada foi para Iphone (IOS), disponível em dezembro por cerca de R$ 10 na Appstore (embora exista a versão gratuita para Android). O download foi realizado sem problemas e o app funcionou perfeitamente, sem travamentos ou esperas, levando-se em consideração que o aparelho não era um modelo de última geração. Em linhas gerais, o MobiDic agradou bastante, pela sua simplicidade de uso, leveza de operação e grande utilidade enquanto ferramenta pedagógica e de aprendizagem, inclusive para músicos mais experientes. Altamente recomendável!