Voltar

Acervo Digital do Violão é tema de palestra no Sesc SP

Postado em Cursos, palestras e seminários em 21/11/2016

Marcus Tardelli

Vídeos e áudios inéditos de artistas como Mônica Salmaso, Ná Ozzetti, Guinga, Marcus Tardelli, Duo Siqueira Lima, João Carlos Victor e Marco Pereira serão apresentados pelo diretor do Acervo Digital do Violão Brasileiro, Alessandro Soares, nesta quarta-feira (23) às 19 horas, no Centro de Pesquisa e Formação do Sesc SP (Rua Dr. Plínio Barreto, 285 - 4º andar, Bela Vista). Também vão ser mostrados trechos de antigos programas de rádio dedicados ao violão, fotos raras de violonistas nordestinos da Era do Rádio na juventude, a exemplo de Meira, Canhoto da Paraíba e João Pernambuco.

As inscrições podem ser feitas pelo site do Centro de Pesquisa e Formação do Sesc SP ou nas unidades do Sesc SP. Os participantes concorrem a um songbook, por cortesia da livraria Free Note, que será sorteado no final do evento.

A palestra de Alessandro vai destacar a gestão do Acervo (www.violaobrasileiro.com.br), captação de recursos, parcerias, dicas práticas sobre como funciona e quais as principais ferramentas do Acervo Digital do Violão. Pesquisas de campo e a abrangência do tema estão incluídas no programa, assim como os bastidores da descoberta de documentos e músicas inéditas de Baden Powell e de João Pernambuco, pelo pianista e pesquisador Alexandre Dias e sua repercussão na grande imprensa.

Alessandro busca manter uma relação próxima com os veículos de comunicação e investe nas redes sociais, pois acredita que tais iniciativas ajudam a preservar a memória da música brasileira. Com vasta experiência em assessoria de imprensa, ele fala da montagem de pautas e de como chegar aos repórteres e editores mais sensíveis à causa.

Destaques do Acervo

O palestrante conta também como está digitalizando as primeiras revistas do país dedicadas ao violão, começando por O Violão, que circulou entre 1928 e 1929, da revista A Voz do Violão, de 1931, e Violão e Mestres, que marcou os anos 1960. “Eram títulos muito difíceis de serem consultados. A leitura só estava acessível na Biblioteca Nacional (no Rio de janeiro) que tem os originais. Mesmo assim, não era possível tirar cópia ou fotografá-las. Agora as revistas estão  disponíveis no Portal e muita história poderá ser resgatada”, afirma.

A história do violão no Nordeste (região  bem menos estudada pela academia do a Sudeste e no Sul) também será explorada na palestra.

O trabalho do Concurso Novas de composição, de autoria de Elodie Bounie, cujas inscrições são coordenadas pelo Acervo é outro tema de discussão. Além de Elodie, fazem parte do corpo de jurados do concurso Sérgio Assad, Marco Pereira e Fabio Zanon. “Será uma ótima oportunidade de conversar com o público de São Paulo, que é o que mais acessa o Acervo’”

Perfil do Acervo

O Acervo Digital do Violão Brasileiro reúne o mais completo acervo sobre o violão no país, com acesso gratuito, dirigido ao público em geral e especializado. Lançado em setembro de 2014, rapidamente se tornou uma das principais referências de violão do país.

O projeto cataloga, resgata, analisa, lança novidades editoriais e fonográficas e divulga a obra de compositores e intérpretes do violão. O menu é formado por biblioteca, discoteca, videoteca, banco de partituras, galeria de fotos, linha do tempo, blog, agenda de shows, rádio digital sobre violão e um dicionário de verbetes biográficos, que representa o primeiro no gênero produzido no país.

O Acervo Violão tem a missão de preservar a memória do instrumento e da cultura brasileira e, ao mesmo tempo, produzir e divulgar o que está sendo criado de mais novo e representativo pelas novas gerações de compositores e virtuoses. Essa iniciativa abrange tanto as manifestações de rua, gravações em estúdio e shows, quanto seminários, aulas e produções acadêmicas de dissertações e teses.

Dirigido e idealizado por Alessandro Soares, o projeto foi concebido em parceira com o pesquisador e pianista Alexandre Dias. A equipe de pesquisadores e redatores inclui o biógrafo Jorge Mello e o violonista e professor Gilson Antunes. O coordenador de partituras é o violonista Carlos Chaves e o maestro Caio Cezar coordena os projetos especiais do portal.

Para Alessandro, o Acervo Digital do Violão Brasileiro foi criado como “obra aberta” à construção de novas páginas, relativas a compositores e musicistas e projetos afins.

Sobre Alessandro Soares

Jornalista,  pesquisador e produtor cultural pernambucano, é criador e diretor musical do Festival Acordes do Rádio. Também elaborou o  blog www.acordesdoradio.com.br. Na produção de discos, Idealizou do CD Luiz Gonzaga: Baião de Viramundo (1999), eleito pelo New York Times como Disco da Semana e foi co-produtor do CD Frevo do Mundo (2008), com participação de Edu Lobo, João Donato, Céu, Orquestra Imperial, Banda Eddie, Cordel do Fogo Encantado e outros.

No campo da literatura, Alessandro organizou o livro O Verso Dos Trabalhadores, que reúne textos inéditos de escritores como Mia Couto, Eliane Brum, Marcelo Rubens Paiva, Xico Sá e Lya Luft.  Atualmente dirige o Acervo Digital do Violão Brasileiro, Dirige a Produções do Tempo, empresa dedicada a projetos artísticos e culturais.

  

Centro de Pesquisa e Formação do Sesc SP

Coordenado pela pesquisadora e violonista Flávia Prando, o Centro de Pesquisa e Formação do Sesc SP tem como proposta fazer a articulação da produção de conhecimento, formação e difusão. De acordo com o site do Sesc SP, o espaço promove o trânsitos e as trocas entre o saber fazer da instituição, os dados, informações e pesquisas existentes, bem como as temáticas permanentes, transversais e emergentes envolvendo educação e cultura.

O Centro de Pesquisa e Formação é composto por três núcleos: o Núcleo de Pesquisas, que se dedica à produção de bases de dados, diagnósticos e estudos em torno das ações culturais e dos públicos; o Núcleo de Formação promove encontros, palestras, oficinas e cursos; o Núcleo de Publicações e Difusão se volta para o lançamento de trabalhos nacionais e internacionais que ofereçam subsídios à formação de gestores e pesquisadores.

Serviço:

Local: Centro de Pesquisa e Formação do Sesc SP (Rua Dr. Plínio Barreto, 285 - 4º andar, Bela Vista)

Dia: segunda-feira - 23 de novembro

Hora: 19 horas até às 21 horas

Ingressos: R$ 4,50 a 15,00

Inscrições: pelo site do Centro de Pesquisa e Formação do Sesc SP ou nas unidades do Sesc SP