Voltar

Almirante e O Pessoal da Velha Guarda - Anna Paes

2012

Instrumentistas: Anna Paes

Tags:

Título: ALMIRANTE E O PESSOAL DA VELHA GUARDA: MEMÓRIA, HISTÓRIA E IDENTIDADE
Autora: Anna Paes
Orientadora: Elizabeth Travassos
Coorientador: Pedro Aragão
Programa de Pós-Graduação em Música do Centro de Letras e
Artes da UNIRIO, Rio de Janeiro
Ano: 2012

O trabalho focaliza a atuação do cantor e pesquisador Almirante (Henrique Foreis Domingues) (1908 – 1980) como radialista e produtor de programas radiofônicos, destacando sua contribuição na construção da história, da memória e da fixação de padrões estéticos na música popular brasileira. Sua trajetória foi marcada pelo pioneirismo na sistematização de fontes sobre a música popular urbana e por ações de defesa e valorização do patrimônio cultural e artístico brasileiro.

Um dos exemplos emblemáticos dessa linha de ação se evidencia no programa de rádio semanal O Pessoal da Velha Guarda, apresentado e produzido por Almirante entre 1947 e 1952, sob a direção musical de Pixinguinha, levando ao público interpretações ao vivo de músicas tradicionais das serenatas do Rio Antigo – polcas, schottischs, valsas, modinhas, choros – de fins do século XIX e início do XX.

Metodologia de análise - O trabalho baseia-se em teorias da memória social de Jacques Le Goff (1990), Pierre Nora (1981), em estudos de música popular como os de Lenharo (1995), McCann (2004), Vinci de Moraes (2010), Aragão (2011), em estudos de Antoine Hennion (1997) sobre a recepção de obras musicais. As fontes utilizadas para análise estão nos documentos do seu acervo pesquisados no Museu da Imagem e do Som-RJ, no conjunto das gravações de vinte programas completos de trinta minutos disponibilizados pela Collector’s Studios Ltda. e nas gravações extraídas dos programas encontradas nas fitas de rolo do Arquivo Jacob do Bandolim.

Conclusões: Almirante teve grande parcela de responsabilidade pela transição da memória social oral para a memória social escrita da música popular brasileira ao criar um arquivo e instigar a produção de vestígios históricos; contribuiu para o reconhecimento da música popular urbana como objeto de estudos e para o desenvolvimento da sua historiografia; participou ativamente na construção e consolidação de referenciais estéticos característicos da identidade da música popular brasileira.