Festivais | Cursos, palestras e seminários

Seminário de Violão de Sergipe prossegue com intensa programação até sexta-feira (21)

Diego Lima

Quatro peças do compositor sergipano Alvino Argollo vão dar o tom da primeira parte do recital desta quinta-feira (20), com o violonista Diego Lima, no 2º Seminário de Violão de Sergipe (Sevise), que prossegue até sexta (21) na Reciclaria Casa de Artes, em Aracaju. As músicas integram o CD que Diego está produzindo dedicado ao compositor. O repertório desta noite inclui também obras de Marco Pereira, Villa-Lobos, Roland Dyens, Albéniz e Agustin Barrios.

Após a apresentação de Diego Lima, quem sobe ao palco é a Camerata de Violões da UFRN, liderada pelo violonista recifense João Raone. Para este concerto, o repertório escolhido será focado em obras originalmente escritas para o grupo por compositores das Américas. A diversidade de estilos na seleção abrange desde música tradicional e popular até linguagens mais modernas e experimentais. Será uma verdadeira viagem musical que mostra a versatilidade do violão e que exige uma grande virtuosidade por parte dos músicos.

Camerata de Violões da UFRN

Na sexta-feira, último dia do evento, às 9h30, João Raone vai dar uma palestra sobre o alaúde no período barroco. Às 14h30 é a vez dos violonistas Ricardo Vieira e Julio Rego fazer workshop com o tema Criação x Interpretação de um repertório, seguido por Fred Andrade, que vai falar sobre composição para violão e guitarra, às 16h30.

O recital de encerramento será com Alberto Silveira, que interpretar peças de sua autoria, do CD Baleadeira, marcado pelas técnicas de tapping, two hands e violão percussivo. A apresentação final, com Fred Andrade, também terá repertório bem autoral, pautado nas músicas do CD Sacrifício Pela Fé, na qual o guitarrista aborda o tema do cangaço, através dos sons e imagens projetadas no palco, e guitarra solo.

Fred Andrade

Idealizado pelo violonista Alessandro Pereira, o 2º Sevise teve intensa programação, iniciada na segunda-feira (17), num total de 15 atividades didáticas durante manhãs e tardes (entre oficinas, workshops e palestras), e 10 recitais noturnos. Além dos instrumentistas citados, o elenco foi formado por Fabiano Zanin, Entrou Água Trio, Quarteto de Violões DMU-UFS, Felipe Freitas, Willbert Fialho, Pablo Donoso, Saulo Ferreira, Kadja Emanuelle e João Vitor Bezerra. Confira a seguir o perfil dos participantes.

Alberto Silveira - Compositor, arranjador e violonista, Alberto Silveira já tocou em bandas de pop-rock e em projetos de música instrumental em bares na noite sergipana. É autor da trilha sonora dos curta-metragens A Parede (vencedor do prêmio Aperipê de 2007) e Do outro lado do rio. Em 2011 foi vencedor do prêmio Aperipê de melhor instrumentista e de melhor música instrumental, Fim de Noite, além de finalista do festival nacional da ARPUB (2011). Integrou a coletânea Sescanção (mostra de musica sergipana de 2011) lançada em 2012, com a canção Quase Primavera. Participou de eventos importantes em Sergipe, como o 1º e 2º Festival Mangaba Instrumental (2011 e 2012). Em 2013 participou do circuito Sesc instrumental com shows em diversos municípios do estado de Sergipe. Lançou o primeiro CD Baleadeira, em 2015. Em paralelo com a carreira musical, Alberto Silveira é educador musical e já participou de projetos de musicalização infantil. Ele utiliza técnicas como tapping, two hands e o uso do violão percussivo.

Alessandro Pereira - Com bacharelado e mestrado pela Faculdade de Música da UNESP (Universidade Estadual Paulista), Alessandro Pereira já recebe vários prêmios, entre eles o 1º colocado no Concurso Nacional de Violão Heitor Villa-Lobos Tarde da Juventude, 1º colocado no Concurso Nacional de Violão Souza Lima e 2º colocado no Concurso Nacional de Violão Musicalis. Como solista e camerista, participou do projeto Violão no Masp, do Seminário de Violão Souza Lima (SP) e do 17º Festival Nacional Ritmo e Som – Unesp, além de ter tocado no Centro Cultural São Paulo e nas Bibliotecas Municipais de São Paulo. Gravou trilhas para o programa Oficinas Culturais da TV Cultura de São Paulo. Fora do Brasil, apresentou-se no 8º Internationales Pfingstseminar Koblenz (Alemanha) e no Concurso Internacional de Guitarra Alhambra (Espanha). Atualmente é professor da Universidade Federal de Sergipe.

Camerata de Violões do RN - Sob a coordenação do professor João Raone e com o apoio da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, a Camerata de Violões reúne alguns dos melhores violonistas do Rio Grande do Norte. Criado há cerca de um ano, o grupo planeja gravar o primeiro CD,  a ser lançado em 2017, juntamente com uma publicação da Editora da UFRN com obras de compositores potiguases escritas para a camerata. O Grupo tem se presentado com frequência em várias cidades do Nordeste e tem sido convidado para várias Séries de Concertos, Festivais e  Simpósios de Música como o Festival Internacional de Música de Campina Grande, Festival Internacional de Inverno da EMUFRN, Semana da Música, Simposio Acadêmico de Violão da UERN, Projeto Violadas (PB), entre outros. A divulgação do violão através de um criterioso repertório de alto nível técnico e musical é uma das principais bandeiras da Camerata.

Diego Lima - Técnico, Licenciado e Mestrando em Música, Diego LIma é professor efetivo no Conservatório de Música de Sergipe. Ministrou aulas no IFS - Sergipe e atuou como colaborador na Coordenação Técnica de Cultura do Sesc em Sergipe como estagiário de Música. Já se apresentou no I Festival Internacional Mangaba de Música Instrumental, I e II Fevise, I Semise, 36º Civebra e 6º Festival Internacional Sesc de Música. Participou também da 10ª Conferência Latinoamericana y 3ª Conferencia Panamericana de la Sociedad Internacional de Educación Musical, VII Colóquio Internacional Educação e Contemporaneidade, II Femba e V Sispem. Tem no repertório compositores como Marco Pereira, H. Villa-Lobos, R. Dyens, I. Albéniz, A. Barrios, destacando o trabalho desenvolvido atualmente da releitura da obra para violão do compositor Sergipano Alvino Argollo sob a orientação do mesmo e do Prof. Dr. Robson Barreto Matos.

Entrou Água Trio - Formado pelo flautista Wolfgang Adary, o violonista de sete cordas Everson Vieira e o baterista Kelvin Cruz, o Entrou Água Trio não tem a preocupação de se enquadrar em algum determinado gênero. Cada um dos integrantes tenta trazer um pouco de suas influências para a formação. O repertório fará um breve passeio na obra de compositores como: Tom Jobim, Guinga, Waldir Azevedo, Jacob do Bandolim e também o sergipano Ricardo Vieira.

Fabiano Zanin - Professor de violão na Universidade Federal de Sergipe, o paranaense Fabiano Zanin é Mestre em Musicologia pela USP (Universidade de São Paulo). Os primeiros estudos na arte flamenca foram com o guitarrista cigano espanhol Yoshka Santa Ana, com quem atuou em diversas turnês e espetáculos. Em 1998 trabalhou em Bogotá, na Colômbia, com renomados artistas flamencos, entre eles Dario Arboleda e Tito Montes. Em 1999 participou da estreia mundial da Ópera Sarapalha, sobre texto de Guimarães Rosa, do compositor mineiro radicado em Curitiba Hary Crowl. Em 2000, graduou-se em violão clássico na Escola de Música e Belas Artes do Paraná, sob a orientação de Luiz Cláudio Ribas Ferreira. Participou de diversas oficinas e cursos de música, onde estudou com Victor Villadangos (Argentina), Jaime M. Zenamon (Brasil-Alemanha), Nicolas de Souza Barros (Rio de Janeiro), Fabio Zanon e Henrique Pinto (São Paulo). Em 2002 gravou, como primeiro guitarrista e arranjador, o CD de Música Flamenca Mistérios Del Flamenco, com a bailarina argentina "La Morita".

Felipe Freitas - Professor e pesquisador licenciado em música pela Universidade Federal de Sergipe, Felipe Freitas é o guitarrista mais atuante no cenário gospel sergipano, tendo no currículo professores como Mike Moreno (EUA) e Garry Dial (EUA). Como pesquisador, faz parte do grupo de pesquisa Psicologia da Música da UFS e terá dois artigos publicados ainda em 2016: o primeiro no Encontro Regional Nordeste da Associação Brasileira de Educação Musical e o segundo no VII Encontro Nacional Ensino Coletivo de Instrumento Musical. No II SEMISE Felipe vai palestrar sobre a guitarra elétrica na academia brasileira.

Fred Andrade - Professor do Conservatório Pernambucano de Música e da Universidade Federal de Sergipe, o compositor, guitarrista e violonista pernambucano Fred Andrade tem vasta experiência em gravações de trilhas e vem há 16 anos trabalhando sua própria carreira solo. Em 2000 lançou o primeiro álbum, Ilusões a Granel. Em 2005, lançou o CD Guitarra de Rua, focado em frevos de rua. No ano seguinte, produziu o disco Farra de Anjo, (com a participação de muitos artistas da cena instrumental nacional). E em 2009 gravou o CD Pele da Alma. Em 2010, Fred filmou o DVD Guitarra Pernambucana, no qual faz retrospectiva de sua trajetória através de músicas que o marcaram e aborda assuntos ligados ao fraseado e estilo de composição. Em 2002 lançou um CD em parceria com o baterista Ebel Perrelli chamado Projeto Mandinga.Com Perrelli, também gravou o DVD Mandinga (Duo), em 2012. Em paralelo à carreira de solista, Fred integra o Sexteto Noise Viola, que tem dois discos: lançados em 2007 e em 2015, respectivamente. Em 2015, Fred concluiu o CD Sacrifício pela Fé, que explora o universo do cangaço,  gravado somente com uma guitarra e um violão.

João Raone - Violonista e professor recifense, é mestre e bacharel pela Universidade Federal da Bahia. Desde 2007 é professor de Violão e Música de Câmara na Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Tem atuado como concertista e camerista em apresentações em várias cidades do Brasil. Foi solista com a Orquestra Sinfônica da UFBA, Orquestra de Câmara de Pernambuco, Orquestra Sinfônica Jovem de Pernambuco, Orquestra Sinfônica do Rio Grande do Norte, entre outras. Fez a primeira audição de obras de vários compositores contemporâneos e também tem se dedicado ao estudo de instrumentos dedilhados antigos como o alaúde e a teorba.

Kadja Emanuelle - Professora de música da rede pública estadual e da rede particular do estado de Sergipe. É licenciada em Música pela Universidade Federal de Sergipe (UFS) e especialista em Pedagogia Musical pela Faculdade Pio Décimo. Pesquisa sobre as instituições de ensino especializadas em música de Sergipe e o currículo de música para escolas regulares. Atuou como professora do curso técnico do Conservatório de Música de Sergipe. É professora de violão da Escola de Artes Valdice Teles e na Escola de Música Santa Bárbara. Realiza assessoria de projetos de marketing cultural e em 2013, produziu o Tetraccorde Quarteto de Violões.

Quarteto de Violões DMU-UFS - O Quarteto de Violões DMU-UFS é um projeto de extensão coordenado pelo professor do Departamento de Música da Universidade Federal de Sergipe Alessandro Pereira e é formado pelos discentes Ana Carolina Silva Freitas, André Filipe Carvalho Rezende, Everson Vieira Gomes e Mateus Oliveira Costa. Dentre as apresentações do grupo, destacam-se os recitais no III Festival de Violões de Sergipe, no evento UFS Abraça, no XVII Encontro Regional Da Terceira Idade e no X Colóquio Internacional de Educação e Contemporaneidade, todos realizados em 2016. A proposta artística do grupo é mostrar a diversidade de ritmos e estilos, passando por diversos gêneros, retratando principalmente a música instrumental de nosso continente. Dessa maneira, no programa constam obras arranjadas pelo grupo e obras já previamente escritas para a formação do quarteto de violões.

Pablo Donoso - Doutorando em Educação Musical pelo Programa de Pós-Graduação em Música da Universidade Federal da Bahia (PPGMUS/UFBA); Mestre em Educação Musical pelo Programa de Pós-Graduação em Música da Universidade Federal da Paraíba (PPGM/UFPB); Bacharel em Instrumento/Violão pela Universidade Federal da Bahia (UFBA); foi bolsista do curso de aperfeiçoamento para jovens músicos ibero-americanos da Fundação Carolina (Espanha). Tem experiência na área de Artes, com ênfase em Música, atuando principalmente nos seguintes temas: ensino de instrumento, educação musical, performance e cognição musical. Atuou como professor/estagiário de violão no curso de Extensão da Escola de Música da UFBA, como professor de música no projeto Ponto Móvel da Cidade do Saber (Camaçari-BA) e como professor de violão e guitarra na escola de música TEMUS (Salvador-BA). Foi professor substituto na área de violão/música brasileira do curso de licenciatura em música da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) e professor formador no Plano Nacional de Formação de Professores de Ensino Básico (PARFOR) na mesma universidade.

Ricardo Vieira - Violonista de 7 cordas, compositor e arranjador, Ricardo Vieira é Mestre em Música pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) na área de Criação e Execução Musical. É graduando do curso de Música da Universidade Federal de Sergipe (UFS) e técnico administrativo desta instituição. Líder do Grupo Brasileiríssimo, desenvolve trabalho de música brasileira no duo formado com o flautista João Liberato. Começou os estudos musicais há 24 anos, e durante este período, atuou nos diversos setores da música sergipana, tais como acompanhamento de artistas locais, participações em gravações, arranjos e produção musical.

Saulo Ferreira - Guitarrista, compositor e professor do Conservatório de Música de Sergipe, Saulo Ferreira desenvolve um trabalho autoral resultante de múltiplas influências musicais, sobretudo do jazz, da música brasileira e africana. Estudou Licenciatura em Música da Universidade Federal de Sergipe, onde também ministrou cursos de percepção musical e prática de improvisação. Após concluir a graduação, prosseguiu na carreira acadêmica e ingressou no mestrado em Educação Musical da Universidade Federal da Bahia. Em 2013 e 2014 apresentou-se e ministrou workshops na 1ª e 2ª edição do Brasilianisches Kulturfestival Wien (Festival de Cultura Brasileira em Viena. Em novembro de 2011 lançou seu primeiro disco solo, Direções, e atualmente idealiza novos projetos relacionados à música instrumental com os grupos Ferraro Trio, Jazz III, Saulo Ferreira Quarteto e Trança de Caipora.

Willbert Fialho - É violonista, arranjador e diretor musical. Acompanhou artistas nacionais como Roberto Silva, Zé da Velha e Silvério Pontes e  Joatan Nascimento. Em 2006 fundou com Jurandir Bozo a banda Poeira Nordestina, com músicas próprias, baseadas na cultura regional de Alagoas. Naquele mesmo ano, compôs a trilha sonora do documentário Tabuleiro de cana, xadrez de cativeiro do diretor Talles Gomes. Integrou por quase 10 anos o grupo Confraria Alagoana do Choro. Também fundou junto com Bruno Palagani o Duo no Choro (Cavaquinho e Violão de 7 cordas), com repertório do choro e camerístico internacional. Em sequência, formou o Cai Dentro em várias formações (trio, grupo e orquestra de gafieira). Como arranjador e diretor musical, fez o show em homenagem ao centenário de Dorival Caymmi (2013), o show O Mar Fala de Mim (da cantora angolana Irina Costa, em 2014, filmado em DVD) e o concerto O Mar Fala de Mim – Sinfônico (em 2015, com a Orquestra Sinfônica Universitária da UFAL), entre outros espetáculos de música instrumental e de cantoras. Atualmente é mestrando em Música pela Universidade Federal da Bahia - UFBA na área de Criação Músical – performance em Violão Clássico.

 

VOLTAR
NIG

Tags